Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PORQUE O MEDO DE AMAR....

Porque o medo de amar...
 
Medo de amar, sim...
A tudo que é novo tememos
E,  para muitos, amar é novidade!
Até mesmo para os que dizem amar...
Interessante? Não... Comum e simples fato!
De cada forma que animamos algo aprendemos...
Nem consciência ou sensibilidade para tal fato todos têm
Amávamos?
Não!
Hoje transitando racionalmente entre
Sensação e sentimento...
Qual a bagagem mais próxima e familiar
que cada um de nós carrega?
Amor?
Não...
Vestígios da aprendizagem do Amor
No predomínio inequívoco dos instintos
seguido de "perto" pelas sensações
Apesar do chicote da dor
nos despertando para as ações e reações
Nos tangendo em direção  de verdades
condizentes ou não com a compreensão da Verdade,
Amor???
Do pouco que vislumbramos dele,
nos ofuscamos em sua grandeza
e temos medo, sim!
E nele nos atordoamos porque a Luz, O verbo, a Verdade
são os nomes do Amor, assim como há outras definições
E...
Somos ainda incipientes e pequeninos
semi analfabetos de amor...
Não o conhecemos nem nos detemos
para o sincero interesse em conhecê-lo...
Isso implica em conhecer a nós mesmo e encarar uma luta
imensamente ÁRDUA e longa!
Construir a ponte entre o imperfeito e o Perfeito
Do simples para o Complexo...
Da ignorância para a Sabedoria
E descobrir que é nessa lide que estamos aprendendo amar!
Não conseguimos amar de fato aquilo que ainda não conhecemos.
Tampouco admitimos que necessitamos aprender!
Somos tão tolos que nos envaidecemos do  que sabemos,
quando o que sabemos é quase nada de tão pouco!...
O Amor...
Ah, o amor...
Fulgurante futuro que ha muito está reservado  para nós!
Ainda em passos incertos e tímidos andamos em sua direção!
Amar é necessário, mas ainda não é espontãneo para nossa natureza rude!
Respeitamos a diversificação das naturezas? Ainda não...
Não conseguimos ainda compreender  o outro da própria espécie
Só o amamos condicionalmente...
E só se corresponder a alguma expectativa nossa!
Temos medo de amar!
Amammos imperfeito e incompleto a tudo e todos!
E fingimos amar a Deus  até o momento em que verdadeiramente
nos sentimos interpenetrados de sua essência!
Daí, só então nasce o amor na profunda admiração e respeito!
No profundo desejo em nos melhorar para ficarmos mais próximos dessa
fonte poderosa e amorosa a que chamamos Deus!
Marilú Santana
16/07/2006
Marilu Santana
Enviado por Marilu Santana em 25/07/2006
Código do texto: T202020
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marilu Santana
Paulista - Pernambuco - Brasil
204 textos (37058 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 23:30)
Marilu Santana