Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SIMPLES





24/06/1987.





Hoje é um dia como outro qualquer.
Inverno rigoroso, noites frias, madrugadas enregelantes.
Mas agora é dia, e o sol brilha forte,
Como num dia de primavera.
O sol penetra pelas minhas roupas, aquecendo a minha pele,
E eu só queria agora a tua voz a me embalar,
Como noutro passado dia de inverno.
Fecho meus olhos e deixo-me vaguear,
Na energia que o sol emana...
E o meu pensamento, vagando,
Corre a tempos idos, divinamente vividos,
Em que a cada dia havia uma energia que fluía,
Nova, livre, constante e positiva.
Eu era livre e não sabia...
Quando andava feliz pelas ruas, me amando,
Amando a cada pedra em que eu pisava,
Amando cada folha de cada árvore que eu encontrava,
Eu era feliz, e não sabia.
Quando andava pelas estradas, chutava pedrinhas, dando longas caminhadas,
Eu me descobria, e a cada passo me interiorizava mais,
Era tão adulta, que não entendia...
Ah, meus doces tempos...
E quando estava contigo entre meus braços,
Quando te beijava loucamente,
Quando te pertencia sem reservas,
Eu era pura, e livre, e não sabia.
Mas agora percebo, e entendo,
Que coisas tão simples fazem a vida tão bela,
E o simples decorrer da vida traz-nos a esperança
De cada vez mais nos conhecermos, nos encontrarmos,
Fazermo-nos felizes e viver bem.
Porque tão complexo é nosso sistema,
Como é simples e natural viver.
Tão emaranhados são nossos problemas,
Porém muito mais é o mundo em si.
O ciclo da vida, da água, da terra,
Que é tão imenso, e no entanto, não nos é dado ver nada,
Ou quase nada, do real.
Pelo fato de conhecer essa simplicidade, sinto-me feliz,
Pois torna-se tudo mais fácil quando entendemos a essência das coisas,
E a essência da vida é a simplicidade.
É tudo muito simples, tão simples que chega a amedrontar,
Ao ponto de procurarmos a complexidade,
E nessa busca, nada encontramos,
Pois cada definição é desmentida por algum exemplo vivo.
Simplesmente não encontramos nada, porque a vida,
Bem como a felicidade, é simples.
Simples como uma criança, uma flor,
Um aconchego de amor, uma vontade de amigo...
Maravilhosos, porém simples.
É bom libertar-se da busca,
Querendo encontrar sempre como é a vida, como sermos felizes.
E é muito bom fluir, naturalmente,
Sem temores, nem reservas,
É maravilhoso,
Como é maravilhoso amar, viver, simplesmente.
Edilene Barroso
Enviado por Edilene Barroso em 04/08/2006
Código do texto: T208770

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Edilene Barroso
Campinas - São Paulo - Brasil, 53 anos
192 textos (21457 leituras)
12 áudios (4784 audições)
5 e-livros (337 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 18:49)
Edilene Barroso