Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEMÓRIAS DE UMA AMIZADE ALÉM DA VIDA

Vivi trinta anos te esperando. Um espírito solto, vagando só, sem eco e sem espelho. Me perguntava todos os dias se te encontraria nessa vida, se você já tinha nascido em algum lugar, se estava entre nós. Mal sabia eu que você sempre esteve tão perto de mim. Mal sabia eu que o universo é perfeito e te colocaria no meu caminho logo. A amizade mais bonita, eterna e além de todas as fronteiras visíveis e palpáveis que conhecemos. Me lembro bem da  primeira vez que te vi. Eu sabia que te conheceria e que nos reconheceríamos, depois de tanto tempo, de tantas vidas. Senti saudades!

Em menos de um ano, você me conheceu melhor do que amigos que eu cultivava há quinze, vinte anos. Uma cumplicidade mútua, silenciosa que sempre nos acompanhou. Respeitando nossas idéias, opiniões, dores e sofrimentos. Você, que mais do que qualquer pessoa, sabe reconhecer em mim meus defeitos e qualidades, sabe quando sofro e quando estou feliz, no meu olhar; no tom da minha voz, sabe se quero contar alguma coisa, sabe se eu, simplesmente, não quero dizer nada. Nos protegemos na vida, nos protegemos até em sonhos. Você me aconselha e me pede opiniões até quando dormimos. Vivemos uma juventude plena e cheia de aventuras. Dançamos todas as músicas, cantamos todas as canções. Pulamos muitos carnavais até nos cansarmos de toda aquela folia. Beijamos todos os beijos e dividimos nossos maiores segredos. Vimos nossos namorados beberem juntos, trocarem piadas e falarem de nós. Assistimos nossos amores estreitarem os laços e se darem conta de que nossa amizade é intocável.

Vimos nossas barrigas crescerem, tivemos desejos e fizemos adivinhações...será menino ou menina??? Você apostava que eu teria um menino...dito e feito...eu sempre soube que você seria mãe de uma garotinha linda...Vimos nossos filhos nascerem. Assistimos nossas crianças brincando juntas, correndo e começando uma amizade como a nossa. Demos conselhos e broncas quando eles viraram adolescentes. Voce me ajudou com os meus e eu com os seus. Adultos e donos de suas próprias vidas, eles se divertiam com as nossas histórias, sentavam-se a nossa volta prontos para ouvir nossas risadas e palavras sábias, quando lembrávamos do nosso passado e de tudo o que vivemos. Sentados a nossa volta, eles se emocionavam ao presenciar uma amizade que durava tantos anos, genuína e que sempre foi cultivada com amor e sensatez.

Hoje, o que vejo aqui de cima é lindo. Vejo o fruto de uma vida harmoniosa e cheia de amor. Vejo tudo o que construímos, vejo nossos filhos dando continuidade a tudo o que começamos.  Você ainda não está aqui comigo, mas olho por você a cada dia e estou certa de que você gostará de ver o que fizemos. Gostará de saber que nossa amizade não foi em vão e que todos os que estiveram do nosso lado; maridos, filhos, pais e amigos, nos amaram; assim como amamos a eles. Agora tenho certeza de que a vida é feita; não de encontros; mas de reencontros. Reencontramos aqueles que sempre estiveram conosco, aqueles que estiveram sempre do nosso lado e que nos ajudam a seguir nossos caminhos. Não sei ainda quantas vidas terei, quantas existências me serão concedidas, mas sei que nos encontraremos e começaremos tudo de novo. Não vejo a hora...

Mari Mérola
Enviado por Mari Mérola em 08/08/2006
Código do texto: T211913
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mari Mérola
São Paulo - São Paulo - Brasil
29 textos (2257 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:31)
Mari Mérola