Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Imaculada Mente

Escrevo contos com a únhula da derme
Poesias cifradas e regidas, culto-as pela alma
Naufrágio em polvorosa, engates em composições
Férreas e internadas em casas de joão-de-barro
Escárnios de lixo e pó, sapientes do piche e nó
Pó sanguinolento, barraqueiro e mexerica ao léu;
Meus sacrifícios merecem dez nas alegorias
Acrobatas mascados, teocêntricos e réprobos
Margeiam a magia desgarrada em olhiagudos ases;
Ainda não temos a idéia do infundado
Se rosa for o naufrágio, verdejante pároco
(que reza nas horas do ônibus submergido)
Haverá sangue por todos os lados
Ratificando ditos de duende
E alimentando os fascínios da mente.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 10/08/2006
Código do texto: T213571

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34086 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:56)
Cesar Poletto

Site do Escritor