Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Tempo Perdoa

Ontem, eu vi a face do tempo
Pusilânime sobre mim
Atenta aos espasmos grotescos
Com a lustrosa adaga, retalhou-me.

Foi minando as éguas em pleno estro
Correu pra perto, com seu lado funesto
Desgostoso e abominável, fugiu de mim a bóia
Não estive na retenção das forras, virei ao avesso.

A face do tempo carregava sobre o pescoço, a estrábica cara da morte
Sorria bocas de padres almiscarados, gosto de vidas infames
Não pude compreender suas eruditas línguas, dialetos prásinos
Mas, pude fitar os olhos de foice, a despetalar vaidades.

O semblante pescado promoveu bovicídio da dor
A pena lancinante a galopar e a galhofar, trouxe-me um pacote
Prescrito e vacinado ao tempo do antídoto
Coagulou minhas angústias, ao rosto do perdão.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 16/08/2006
Código do texto: T217927

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34095 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:14)
Cesar Poletto

Site do Escritor