Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cinco Séculos de Versos

Dunas versejadas pelas alvas areias
Propósitos insanos, maquiavélicos ramos
Tempestade de mentira em rubros pomos
Corados tomos, insipidezes e vilanias.

Negativas formas de amar o belo
Sê-lo, da maneira mais digna e afável
Entornar à inclinação da taça, o pé etílico
Rotas torrentes que rumam, que domam.

Sóis em nasceres sísmicos, cobras ao vento
Tenazes rumos das coisas que lembro, um pouco
Casas de várias paredes pendendo em quadros de alcova
Mero despautério range a perna que passa, e assalta a geladeira.

Manhã inteira nos interstícios alveolares
Meandros escusos não faltam à vida
Trazendo da morte, gente, temente ventre
Numa noite pura, velejam os sonhos.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 16/08/2006
Código do texto: T218011

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34091 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 06:40)
Cesar Poletto

Site do Escritor