Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sentimentos

Enluarados
Fonte exímia do saber
Livro descerrado ao nó das páginas
Folhas deslizantes
Discrepância em nós
Todos ouvintes dadivosos
E vagam honrosos.

Os méis e as taras
Lépidas varas de séquido bambu
Sobrevoam répteis cambos
Os teus não entoam quanto os meus
Nem toam, nem soam
(notas bemóis na sobrepeliz estendida).

Tanto meu pinho
Quanto o desalinho, abstêm-se
Manifesto à esconsa
Dum crepúsculo renovado
A léu, um Apolo vidrado
Geográfico e retilíneo.

E a fé
Inquestionável gênese das marés
Trava homéricas batalhas
Com a perilinfa auricular
Um meio de drenar, de sorver
Sentimentos a viçar.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 16/08/2006
Código do texto: T218112

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34091 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 16:11)
Cesar Poletto

Site do Escritor