Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O anoitecer

À noite,
Como toda noite,
Eu saio à rua a me procurar.
Quando me encontro,
É uma festa!
É uma festa!
Escrevo na testa
O sorriso enrustido da busca.
Não sei o que busco
Cá dentro de mim;
Nem sei o que sou
Ao saber que me achei.

Vejo-me no espelho do carro
Na submissão do esparro...
Tiro-lhe um sarro!
Bebo-lhe o escarro!
Sinto-me nu por dentro d’alma
Quero o calor que acalma
Perco meu rumo na sauna
Sou o que sou nessa fauna.

Homem que foge de tudo
Louco que escreve no muro...
Esmurro!
Esmurro!
Sou vagabundo
Sem corpo e sem fundo
Andarilho perdido no cume
Da luz fraca de um vaga-lume.

Costumo esgueirar-me nos bares,
Sugando a cachaça que esquenta:
“Quem me agüenta
Na briga que destrói os lares?”
Quero pares!
Sou número ímpar,
Um primo de mim
Início sem fim
Sedento e cedido
Paz e conflito
Amante e aflito
Curado e partido...
Nel de Moraes
Enviado por Nel de Moraes em 03/06/2005
Código do texto: T21932

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para o site www.neldemoraes.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nel de Moraes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 56 anos
407 textos (351735 leituras)
2 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:29)
Nel de Moraes