Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Na intimidade dos seres só há lugar para os sentimentos sem nome.
Não há como dar nome à força, ao movimento...
Pegar o vento na palma da mão...
Não! Não há como botar uma aurora
Numa folha de papel e fazer um poema.
Um poema é o momento mais rico de nossa expressão, mas,
Como toda e qualquer coisa feita de palavras,
É o momento mais pobre de nossos sentimentos.
Todas as palavras são o tesouro da nossa pobreza.
Tudo o que sentimos é uma fortuna que não tem onde ser aplicada.
Palavras são a nossa distração, diante da realidade.
Somos bons humoristas.
Poemas são o nosso toque caloroso na pele da vida.
Nossos versos são órgãos do nosso corpo
Que saem e voltam, saem e voltam, saem e voltam...
E nunca se aprisionam. Nem dentro nem fora.

Meu sentimento não foi registrado
E por ele viverei,
A margem de tudo o que se apresenta,
De tudo que tem modos,
De tudo que convence...
Iguaçu
Enviado por Iguaçu em 31/08/2006
Código do texto: T229399

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Iguaçu
Nova Iguaçu - Rio de Janeiro - Brasil
118 textos (9999 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 07:43)