Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O AUTO DO MATRIMÔNIO ( uma peça sem graça)

Abrem-se as cortinas no palco do teatro convivência humana
e, mais um ato daquela vida à dois, é encenado
- uma peça  “non sense”, dois atores medíocres,  pouco cenário
produção barata, com cenas de um roteiro cotidiano
não houve ensaio – os diálogos são os mesmos de toda uma vida
- em alguns momentos a peça se torna um monólogo insuportável
não há diretor para comandar o espetáculo – e nem seria necessário
pois não existem assistentes, não tem iluminação adequada
o som, na maioria das vezes, é uma sinfonia de notas silenciosas
as poucas falas, são punhais cortantes que dilaceram o passado
não existe platéia – os únicos espectadores são fantasmas envelhecidos
dessa forma, não há palmas nem apupos – desgosto maior dos artistas
dois atores, sós, encenando a tragédia burlesca da vida à dois
um espetáculo sem hora para começar e sem final aparente
e assim, a vida até parece terminar – a peça, não
cai o pano e nada ocorre – corre sim,  mais um dia
corre mais um mês, corre mais um ano
e a encenação continua, sem comédia, sem romance
somente drama.


Dionisio Teles
Enviado por Dionisio Teles em 01/09/2006
Reeditado em 02/09/2006
Código do texto: T230105

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dionisio Teles). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Dionisio Teles
Barueri - São Paulo - Brasil, 64 anos
177 textos (43609 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:17)
Dionisio Teles