Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cinzas do Tempo

Minha maré de tristeza recua este mar salgado,
que foge a minha aflição,  presa de lembranças,
represa de filme antigo na memória desenhado,
cujos personagens foram velas cheias, imensas,

afundadas em instantes que o amor ensolarou,
quando’inda não conhecia treva a minha alma,
virgem das dores e dissabores,ela já suspirou.
Ah, já estremeceu no êxtase de estar na chama!

Na pausa da dor permeando amor e amargura,
sinto um alento de oásis, uma passagem festiva
entr'os acordes de chor'e riso,culpa e tortura,
como quem resgata o almo frescor d’uma selva!

Memórias as  cinzas do tempo não esvaeceram
daquela paz que ainda me envolve e me abraça,
suprema, que enquanto saudosa fraquejo passa
e acorda antigos dias de sol que me encorajam!

Santos-SP-03/09/2006

Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 03/09/2006
Código do texto: T232048
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:49)
Inês Marucci