Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando Eu For

Quando eu morrer
Terei a teia a enovelar
Serei disperso a me contentar
Os erros rirão de mim.

Quando eu for à quina
Renovarei os mistérios
Abrirei trevas em brejos
Lançar-me-ei de escuta.

Se num dia plácido
Aprazível e zarpado
Eu resolver partir
Denunciarei os apelos de manga.

Se num sol, eu deixar de existir
Pleitearei um instante que seja
Mero vime faz alheia a prata
Numa cama, eu hei de deitar.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 07/09/2006
Código do texto: T234722

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34091 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:02)
Cesar Poletto

Site do Escritor