Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NA PLACENTA DO NOVO ANO

O poema envergonhado e tímido fez algumas modificações na cuca do poeta que te dedicara o verso. Entendeu que havia outro pequenino na barriga do anterior. O amor faz milagres. Os descuidos dele também.

Agora que o outro nasceu, os opostos estão juntos, como sempre: andam ambos a chorar pelos cantos. São duas criaturinhas andando de mãos dadas pelos cantinhos de Deus e do Capeta.

E com este passeio urgente, a experimentação bota mais uma cria no mundo. O segundo não chora. Nasceu rindo na placenta da palavra. Agora faz xixi na cara dos que o vêem espernear. E todos riem pela novidade da visita.

Enquanto um bole na tristeza, o outro mergulha na alegria e borrifa a palavra.

Há uma girândola de fogos saudando o Ano Novo. Até o Jesus Cristinho brinca com um azul e roxo guarda-chuva de fogos.

Todos os anos a Humanidade dorme na esperança da Luz.

– Do livro EU MENINO GRANDE, 2006 / 2008.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/254988
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 03/10/2006
Reeditado em 21/09/2008
Código do texto: T254988
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709611 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:58)
Joaquim Moncks