Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

                  Que... 


                                        Rosa Pena


Se existe um Deus da poesia que Ele não permita que a decepção amarre meus dedos para que eu não mais solte meus sonhos em versos. Que não me assalte o medo de abrir os meus lábios e entregar os beijos de carinho que guardei com tanto cuidado e ficaram sem vez. Que o temor não me feche os olhos para um novo afeto, que eu não transpire o cheiro da desconfiança, que a descrença não tranque meu coração num baú de nostalgia sem a chave da esperança. Que a insensatez não tenha mais vez, ao ponto deu renegar os sonetos de Vinícius de Moraes. Que o temor não emudeça o grito: - Eu te amo!, que minhas cordas vocais tanto reclamam em soltar. Que eu descubra novas asas e voe com elas além do horizonte de um papel amarelado. Que eu esqueça as incoerências, as mentiras e volte a ser aquela que vê estrelas em calçadas fazendo serenata para os enamorados. Que eu seja capaz de receber um novo amor como se fosse o primeiro e que ele seja o tema do mais perfeito de meus poemas. Que eu reprise Fernando Pessoa e grite aos quatro ventos:
“Tudo vale a pena se a alma não é pequena”.



9 de outubro de 2006




Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 09/10/2006
Reeditado em 19/08/2008
Código do texto: T260097
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
960 textos (1418025 leituras)
48 áudios (24767 audições)
33 e-livros (29000 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:47)
Rosa Pena

Site do Escritor