Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PROVÍNCIA URBANA

O olho do poeta sobre a Cidade Baixa, no coração da capital dos gaúchos, é paixão topográfica localizada.

A vida corre. Humana, barulhenta, em meio aos pombos e volteios, asas sobre fios elétricos e árvores.

Durante o dia, trabalho, escola, azáfama de passos, sobrepassos. Só os pássaros bailam no espaço, furando a luz e a brisa.

À noite, regurgitam o chope, a cerveja, vinho e o uísque: o halterocopismo do lazer e da festa.

Até as flores das árvores antigas, dobradas, se vergam para escutar a música no som dos carros que trafegam como letárgicas tartarugas de borracha.

Um solitário gari, às três da manhã, cantarola uma canção tristonha, que se mistura ao rangido das rodas de seu carro de detritos.

No leito da rua morta, a também letárgica criatura abre a boca e vai largando longas baforadas de fumo e tédio.

O bocejo acorda a madrugada...

– Do livro EU MENINO GRANDE, 2006 / 2008.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/286699
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 09/11/2006
Reeditado em 21/09/2008
Código do texto: T286699
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709602 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:01)
Joaquim Moncks