Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Na Eternidade de um Silêncio

E quando tudo acaba num mudo silêncio constrangedor
Olhares que não mais se cruzam.
Não queremos dar o braço a torcer, mas torcemos para que haja algo que desvirtue o grande vazio que se formou agora.
Parece que nunca mais se termina esse gosto amargo na boca, ele não se consome, mas se alimenta, aumentando de tamanho e comprimindo o resto de mim contra a minha própria pele, seca e triste.
De tão grande a pressão, as primeiras lágrimas descem desgovernadas e vão em direção ao chão frio que há de me esperar.
O silencio que continua tão grande, torna escuro o ambiente, provocando um sentimento de medo pueril, deliberado e grosseiro com o qual tenho que conviver durante a eternidade dos próximos momentos.
Tolos os que na matemática dos eventos, insistem em procurar o mesmo resultado ao invés de evitá-lo.
Discórdia!
Um breve toque viola subitamente o que resta de minha muralha, muito sem graça, recolho-me e me compacto num lugar ainda menor do que já estou, mas ao olhar para o lado veja a mesma cena, como se refletida num espelho, mostrasse a minha própria agonia.
Adultos que todos fingimos ser, agora envergonhados com sua própria fragilidade esperando a próxima estação de boas flores.
E quando o tempo finalmente passa, uma troca de gentilezas novamente reata duas linhas tênues que se engrossam e se amarram num forte nó de amor.
Enfim, a vida é assim, maluca em qualquer instante que a componha.
Duke Webwriter
Enviado por Duke Webwriter em 12/11/2006
Reeditado em 09/02/2012
Código do texto: T289334

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Duke Webwriter
Salvador - Bahia - Brasil
87 textos (5812 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 20:40)
Duke Webwriter