Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SE O AMOR CHEGAR PARA VOCÊ

Se o amor chegar para você, ame-o agora. Talvez não haja tempo para amá-lo amanhã. Talvez nem haja mais este amor amanhã. O único tempo que a gente tem certeza de possuir é o tempo que a gente vive agora. O tempo de ontem não voltará jamais. Teve seu próprio tempo e agora só conjuga verbos no tempo passado, mesmo que os sentimentos que você carrega consigo ainda estejam bem vivos dentro de você. O tempo de amanhã é apenas uma ilusão. As pessoas mais velhas sabem disso. As mais novas, iludidas pela juventude, esquecem-se das incertezas e da fragilidade da vida. Pensam que há um grande estoque de tempo e que podem consumi-lo quando querem. Mas, tempo não se estoca. O tempo se esvai e não há atalhos que o recupere, mesmo que a gente pense que possa recuperar o tempo perdido. Tempo perdido é tempo perdido, em qualquer época e em qualquer lugar! E, o que é o tempo perdido? É aquele tempo que gastamos com coisas e pessoas que não nos levam a lugar nenhum. Pelo contrário, fazem-nos voltar no tempo. Não haverá tempo se o único tempo que você tiver for hoje!

Se o amor chegar para você, viva-o intensamente. Poucas pessoas têm a sorte de encontrar um verdadeiro amor. Gostar é fácil! E a gente gosta de tanta gente e tanta coisa na vida! Gosta de amigos que um dia se mudam para o estrangeiro. Gosta de professores que se vão quando o curso acaba. Gosta de manicures, de médicos, de chefes. Gosta de sorvete de limão, de gelatina de morango, de bolo de chocolate, até que o corpo nos traia e o médico diga que estamos sendo envenenados por eles. Mas amar, amar não é só gostar! Amar é freqüentar por um breve tempo a ante-sala da imortalidade, os porões da insanidade, a loucura da felicidade total. Amar é experimentar um pouco da vida dos deuses imortais. É acreditar ser-se imortal. Amar é sentir-se único para alguém. A gente até esquece que nem sempre um amor é para sempre, mesmo que a gente esteja vivendo o mais verdadeiro amor. A vida é frágil e incerta. As condições que a vida nos impõem são como provas de resistência em corridas de obstáculos. A gente tem perdas pela vida. Perdemos pessoas importantes, perdemos a identidade, perdemos a sanidade, perdemos a nossa alma, perdemos a juventude, perdemos a garra, perdemos o encanto de viver. Então, antes que você perca o grande amor, viva-o intensamente hoje. Se houver amanhã, viva-o também nesse amanhã. E, se você tiver a sorte de ter um depois de amanhã, viva-o também.

Se o amor chegar para você, cuide para que ele seja bem tratado. Um grande amor merece toda a cortesia que seu coração pode oferecer. Tratar bem não é fazer-se anular, fazer-se escravizar. Tratar bem é colocá-lo no alto das suas prioridades. Que maior prioridade pode haver senão a sua própria felicidade? Que felicidade maior pode haver se não vier acompanhada do grande amor? Por isso, saiba bem o que é felicidade para você. Se a felicidade estiver ancorada em coisas materiais, então esqueça o grande amor por alguém e vá ser feliz com as coisas que o tempo pode corroer, que a moda torna obsoleta, que a ferrugem e o mofo destroem, que os ladrões roubam, que as engrenagens emperram. Ame, talvez, quem já tenha tudo isso, assim, sua felicidade será alcançada mais rapidamente. Tenha a certeza, porém, que esse tipo de felicidade é a sua felicidade e não a felicidade que os outros inventaram para você. Se sua felicidade estiver na sua carreira profissional, seja feliz com ela, até que alguém mais competente surja no cenário e faça sua brilhante carreira ser preterida por outra mais atualizada, mais contagiante, mais promissora que a sua. Se a sua felicidade estiver na busca dos aplausos pelo que você diz, pelo que você faz, pelo que você escreve, pelo que você descobre antes dos outros, ou pelo que você aparenta ser, então é tempo de você descobrir em qual momento da sua vida lhe disseram que, para ser feliz, teria de buscar a aprovação dos outros, seja porque lhe aplaudiram quando você falou ou fez alguma coisa bonita pela primeira vez ou, quando fez tudo isso, e ninguém notou. Por isso, trate bem do amor que chega. Ele não vem para aplaudir, vem só para amar! Quem aplaude é o coração!

Se o amor chegar para você, faça com que chegue suave. O amor não vem para agredir, não vem para fazer sofrer, não vem para estabelecer condições, como num contrato comercial. O amor não disputa posse ou propriedade, não delimita territórios, não estabelece horários, não determina quantidades, não estipula preços ou níveis de satisfação. Não estabelece nenhuma central de 0800 para reclamações ou sugestões. O amor que chega suave chega acompanhado de respeito, chega enfeitado com carinhos, vem amarrado em fitas de presente, envolto em ramalhetes de rosas, uma de cada cor, para que possa cobrir todas as formas simbólicas de amor. O amor suave não cria atrito. Para que o amor chegue suave você deve suavemente se deixar envolver. Suavemente se deixar possuir. Suavemente se deixar consumir. Para que suavemente se deixe amar e possa amar.

Se o amor chegar para você, não o deixe escapar por cometer pequenos erros, pequenos delitos ou por vir acompanhado por pequenos defeitos. Todos nós temos defeitos senão não estaríamos nesta vida. O grande amor não é medido pelas qualidades que traz consigo, mas pelo bem que faz à nossa alma, pela implícita e explícita promessa de felicidade, mesmo que essa tal de felicidade seja tão indefinida e tênue quanto esse tal de grande amor. Não se perde um grande amor por pequenas coisas, por pequenos erros. Quer perder um grande amor? Aumente a distância pensando que o grande amor ficará maior se houver distância. Diminua o contato, reduza as palavras de amor e, quando proferi-las, escolha as mais vazias e sem sentido. Estabeleça outras prioridades fora do seu amor. Ou então, comece eliminando o perdão do seu dicionário, ressalte o valor da arrogância, intensifique o significado da intransigência, fique doente de ciúmes ou, melhor ainda, contagie o seu amor com o vírus dessa doença, faça com que ele não se sinta seguro, plante a semente da dúvida e faça questão de adubá-la sempre. Estabeleça a concorrência entre os pretendentes. Assim, se ficar com alguém, ficará com o mais forte, o mais inteligente, o mais bonito, o mais sedutor ou o mais competente. Isso, no entanto, não quer dizer que ficou com quem lhe ama mais.  Quer perder o grande amor? Então você não está preparada ainda para o grande amor.

Se o amor chegar para você, feche os olhos e sinta-o. O amor não precisa dos cinco sentidos embora satisfaça a todos eles. O grande amor é música para os ouvidos, é macio ao tato, tem todos os sabores, é a visão do paraíso, tem cheiro de grande amor. A menos que estes sentidos não façam sentido para você, você ainda poderá senti-lo vibrar nas cordas do seu coração e no rubor de sua pele. Mas, se acima de tudo, o amor chegar para você, não deixe que ele se vá. Talvez você não tenha uma nova chance de viver um verdadeiro amor!

......................................................................................................................
Mensagem de um grande poeta

"Tu e eu, ao perdermos
um ao outro,
Ambos perdemos.
Eu, porque tu eras o que
eu mais amava,
Tu, porque eu era quem
te amava mais.
Mas, entre nós dois,
Tu perdes mais do que eu.
Porque eu poderei amar
a outras
Como amei a ti.
Mas a ti nunca ninguém
jamais amará
Como eu te amei".

*Ernesto Cardenal


13.11.06
Paulo Sergio Medeiros Carneiro
Enviado por Paulo Sergio Medeiros Carneiro em 13/11/2006
Reeditado em 06/03/2007
Código do texto: T290134
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Sergio Medeiros Carneiro
São Paulo - São Paulo - Brasil
63 textos (9678 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 10:47)
Paulo Sergio Medeiros Carneiro