Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Insanos Pensamentos de uma Mente Quase Adormecida.

Insanos Pensamentos de uma Mente Quase Adormecida.

Diz um ditado que quando uma pessoa avista a lua cheia e pensa na pessoa amada e porque a mesma também está pensando nela.
Gostaria de ter certeza disso hoje
Preciso clarear a um pouco a minha cabeça
Nas músicas de grandes profundezas, procuro abrigo.
Não estou pronto para tamanha carga de pressão. Quero ir em busca de solução.
E agora só uma coisa vem em minha mente. É uma frase. Na verdade um trecho de um livro.

“Embora tenha passado por tudo que passei, não me arrependo dos problemas em que me meti – porque foram eles que me trouxeram até onde eu desejei chegar. Agora, tudo que tenho é esta espada, e a entrego para todo aquele que desejar seguir sua peregrinação. Levo comigo as marcas e as cicatrizes dos combates – Elas são testemunhas do que vivi, e recompensas do que conquistei.
São estas marcas e cicatrizes queridas, que vão me abrir as portas do paraíso.
Houve épocas em que vivi escutando histórias de bravura. Houve épocas em que vivi apenas porque precisava viver. Mas agora vivo porque sou guerreiro, e porque quero um dia estar na companhia daquele por quem tanto lutei (...)
Por mais difícil que seja o seu objetivo, sempre existe uma maneira de superar obstáculos.
Ele verifica os caminhos alternativos, afia sua espada, procura encher seu coração de perseverança necessária para enfrentar o desafio (...)
Se ficar esperando o momento ideal, nunca sairá do lugar, é preciso um pouco de loucura. Porque na guerra e no amor, não é possível prever tudo”
(Bunnyan apud Coelho 1997, p.33)

Como faço força para parecer normal
A vontade que tenho é de chorar muito.
Até pôr para fora toda uma tentativa inútil de poder voltar para alguns momentos de minha vida. Como sabe não me arrependo de nada, mas penso como seria se eu tivesse pego a outra via que a vida nos propõe em determinados momentos.
No texto do livro que citei acima, diz um pouco disso. Tenho como provar o que sei e o que passe por causa de minhas queridas cicatrizes.
Neste momento as horas passam tão rapidamente.
Tenho muita vontade de fazer tudo o que vem em minha cabeça de uma só vez, mas algo não permite.
Estou sonolento. Mas preciso continuar escrevendo para afastar todos estes fantasmas que me rodeiam agora.
Acho que estou com a cabeça baixa. Não consigo avistar o meu horizonte.
Ele está ficando embaçado.
Até agora não sei como, mas sinto dois beijos em minha face.
Eu havia fechado meus olhos
Que sentimento foi aquele que estava ali?
Que maravilhoso grande pequeno momento.
Que ternura. Já havia esquecido de como era bom sentir este tipo de coisa.
Anestesiou minha alma.
Respirei fundo. Parei de ter sentimentos pelas coisas físicas que mantinham contato comigo naquele instante.
E as horas que abusavam em passar com a mesma pressa de sempre, quando estou com você.
Retardei-me. A leveza do momento durou por alguns minutos após a nossa despedida, com traços firmes por dois dias.
Aconteceu?
Não se preocupe. Eu entendi. Eu precisei entender. Porque eu respeito muito você.
Eu quero aprender a me arrepender, quero estar errado sempre. Não quero mais ligar para o próximo. Não quero mais sorrir. Quero mostrar hostilidade no meu olhar. Quero despir o medo das pessoas. Quero ser a pessoa mal falada.
Mas como querer nem sempre é poder... Continuo sendo sempre o mesmo cara.
O mesmo cara.
Como é linda está música. Eu a adoro.
Como existem coisas belas feitas por mentes maravilhosas.
Dei-me licença, fecharei meus olhos por um instante e buscarei alívio nesta poesia. (...)
Como é linda uma bela voz ressonando com um violão bem afinado.
Estou chorando.
Preciso me dar mais valor.
Tenho que me acostumar com isso.
Estou pegando no sono. As palavras correm mais soltas assim.
É o melhor momento para se ouvir uma música.
Você pode não estar mais nem alerta, mas ouve o som especial que existe por trás de cada música. Acho que a nossa alma passa a escutar mais que nossos ouvidos.
Estou realmente pegando no sono. Eles não querem me deixar dormir em paz. Não vão embora. Continuam aqui me observando.
Tenho medo deles. Tenho muito medo.
Medo.
Medo.
Medo, tudo de ruim acontece por causa dele.
Preciso ir. Mas eles ainda não me deixam dormir. Assim como fizeram ontem. Não acho isso justo.
Eu sempre achei engraçado, como as pessoas ligam o coração (um músculo burro) aos sentimentos sintetizados pelo cérebro.
Mais o mais engraçado é que é justamente no coração que sinto uma tremenda dor. Ele clama por liberdade.
Está apertado.
Acho que metade deles já saiu, agora posso tentar dormir.
Até muito, até esta chegar aonde planejei.
Não entendeu? Deixa para lá.
São só pensamentos escritos. Pensamentos que coloquei em um pedaço de papel.
Não servirão para muita coisa. Apenas para uma conversa entre nossos subconscientes. Coisas doidas neurológicas.
Estou começando a escrever besteiras... Deve ser o sono.

Obrigado Deus por tudo de bom e por todas as coisas que tenho que passar para um dia ser feliz.
Vou abraçar meu travesseiro e talvez chorar. Novamente.
Dizem que faz bem para a saúde.
Droga! Sujei-me todo de tinta de caneta. E as lágrimas borraram algumas palavras neste caderno.
Meu amigo.
Até a nova rotina de amanhã.
E obrigado por ela.
Eles se foram.
Boa Noite.


Duke
Duke Webwriter
Enviado por Duke Webwriter em 18/11/2006
Reeditado em 10/01/2012
Código do texto: T294372

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Duke Webwriter
Salvador - Bahia - Brasil
87 textos (5812 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:16)
Duke Webwriter