Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Noturno

Foi uma noite quente de lua
que me veio buscar
e me acendeu o desejo de raiar tal estrela cadente.
Fui. Levitei. Asas surgiram. D’onde não sei.
Sei que perpassei brumas,
espaços e de veredas etéreas me impregnei,
vagando e vagando, vaga-lume forasteiro,
entre as floradas do céu,
feliz por me sentir desatar das grilhetas da vida,
jamais alma solitária sem destino,
porquanto desde que tuas migalhas perfumadas
constelam este céu de Deus,
perambulo em teu percalço,
feito moeda invisível,
cara sem coroa,
esperando retumbarem os sinos do amor.

Eu, facho luminoso,
um eco, um fluido, leve canção,
doce intenção, fragrância discreta,
pote lacrado de mel, pétalas cerradas
querendo arrebentar em botão, asas infladas.
Ardem paixão meus dedos de radar,
indicando os caminhos onde o sol a noite clareia
e teus olhos de estrela refletem em meu rio interior,
cada ânsia, cada volúpia adormecida,
que neste encanto noturno,
sagaz e intempestivamente me dominam a mente,
o corpo e o que há de mais divino em mim.

Flanar pelo amor medos supera,
por isto enveredei sem bagagem,
sem adeus, passado ou futuro,
sem roupas nem peles,
apenas o amor extravasado
que largos horizontes ganharam
e a avidez de sonhos cumprir e aos teus acasalar,
como gota única de lua,
fundir e tatuar-me perpetuamente em ti,
meu amor eterno.

Santos-SP-20/11/2006
Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 20/11/2006
Código do texto: T296496
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 54 anos
584 textos (23416 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:09)
Inês Marucci