Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POEMA DE ELIS.

POEMA DE ELIS.



A envolvência da paz dos teus cabelos foram cobreados no fogo da beleza, e me envolveram de súbita admiração.
Os teus olhos azuis e os cabelos de furioso crepúsculo de verão formam uma combinação harmoniosa que conduz a uma leveza impossível.
Os teus olhos lindos me fascinaram e o teu sorriso límpido transparece a presença de uma divindade.
A eles, eu rendo as minhas homenagens e me prostro sem o caráter do sacrifício, e tu te transformas numa real basílica de desejos.
É meu destino perseguir a tua beleza, para mim ela é a expressão máxima do indizível belo.
Se eu fosse um escultor, por certo, serias o meu protótipo, e eu buscaria através das minhas mãos dar a forma perfeita numa imagem que se faria eterna.
Mulher linda sorria sempre, para que, eu possa escrever canções de amor e levá-las comigo para a eternidade, somente assim os anjos me aceitariam em suas companhias.
Tudo se acumulou em ti, a simpatia, o encanto, a ternura e a beleza.
Eu não sou bonito e nem belo, mas tenho o dom de apreciar a perfeição, é que, eu te vejo com os olhos da minha alma.
Se a minha alma te vê assim, é porque ela também é bela, somente as belas coisas se reconhecem.
Elis, tu és um encanto de mulher, talvez tenha sido uma boa miscigenação genética, e o resultado desse biótipo está estabelecido em ti com toda a nobreza.
E assim, minha ruiva linda, tu vibraste com toda a realeza ante os meus olhos.
Pena que só posso te admirar, mas já é o suficiente, isso é uma benesse somente oferecida aos deuses, e eu sou um deles.
Os meus olhos te envolvem e, ao te envolver, eles não se envolvem com mais nada, somente com a tua pulcritude.
Acho-te tão linda que afirmaria com toda a convicção que tu és mui linda de bela.
Não é para ficares envaidecida, muito pelo contrário, ficarás sim orgulhosa, por deteres essa magnífica estampa, inclusive, eu acho que as rosas com as suas pétalas não têm a tua maciez e formosura.
Até as violetas emurcheceram com a tua presença!
Não sejas vaidosa, mas eternamente glamourosa!
Este é o meu canto e, diante do meu canto, até eu me transformo em mais bonito, pois tu me irradias um pouco da tua beleza.
Adoro-te Elis, de cabelos furiosos e cobreados.

Eráclito Alírio



 


Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 21/11/2006
Código do texto: T297175
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 74 anos
889 textos (135341 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 07:15)
Eráclito Alírio da silveira