Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHORO DA VIDEIRA


Desnudo-me das folhas douradas e dos cachos amadurecidos para sentir a profundidade de minhas raízes. Viagem ao solo onírico com os ecos do farfalhar das lembranças fermentadas no último outono. Colheita, vida, poda, vida, cepa... Provo o vinho, sangue tinto corre ainda nas fantasias embriagadas e adorna o céu da boca na espera do gosto decantado dos verdadeiros encontros. Despida, desfolhada, reencontrada em raízes... No horizonte, confundo-me com um discreto traço escuro, cepa, vida podada nas estações frias, e faço-me tarde, na lágrima, no sangue, no choro da videira...
Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 23/11/2006
Código do texto: T298977
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Sut
Curitiba - Paraná - Brasil, 47 anos
614 textos (789769 leituras)
2 áudios (1258 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 01:54)
Helena Sut

Site do Escritor