Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JOESA ROSA DA SILVEIRA.

 

 

 

 

Pronunciar o teu belo nome:

É um enlevo e um doce cantar.

Por que não hei de te adorar?

Se tu levas o meu sobrenome.

Minha querida e muito clarinha,

De repente e sempre hei de te amar.

Como assim, nunca amei alguém.

Tu foste feita filha adorada e minha.

Lenitivo sagrado para aliviar,

As minhas dores e saudades também.

Ó menina, tu és o meu sonho.

Quando a safada saudade me aperta,

De súbito me lembro de ti mui esperta.

Aí, para ti escrevo e componho.

Tu és o meu doce suave e o meu bem querer.

Muito cedo, quando ainda no amanhecer,

Levo-te muito alegre na lembrança,

Esperando o dia clarear para poder te ver.

 

 

Eráclito Alírio

 

Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 26/11/2006
Código do texto: T301578
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 74 anos
889 textos (135325 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 08:20)
Eráclito Alírio da silveira