Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ritual de amor

Névoas nuas e úmidas cobriam meu pudor,
desmanchando-as teus olhos d’estrela
e tuas mãos a’ardor selvagem,
catando ávidas em minhas entranhas,
as peças-chave que complementam
teu quebra-cabeças e desde então,
acertamos o prumo e o rumo,
abrindo-se que foram, miraculosamente,
as travas do labirinto sinuoso,
que nos detinha perdidos em buscas nada vãs,
eis que exultamos embobecidos e crentes,
mais ainda agora,
que os Mistérios se realizam dentro de nós
a cada instante que dança.

Amado, ouça meu canto balbuciar,
não é apenas a carne que pulsa
no frenético ritual erótico e faminto
de andorinhas fugidias,
nas distâncias longínquas do ninho,
há um colóquio de alma para alma,
embebedando-se uma na outra
e no espelho andarejam e sonham
os mesmos sonhos que outrora permeavam céu e terra
e atualmente ungidos no amor,
criaram noites claras de sol
e dias negros de sossego,
solitude dos mundos nas vozes brandas da quietude,
paradoxalmente quase uma eternidade se ensaiando
para nós e aos nossos pés.

Oh amado, oh amado meu,
beija-flor no jardim de mim,
sugando o néctar que vertem meus rios
agressivos e nervosos por se quererem
degustados e beijaflorerados
pelo teu sutil  bico,delicado e sagaz
do macho perfeito e sob medida,
há longas eras encomendado no cosmo,
para esta fêmea aqui,
que se estranha,
frente à tamanha amorosidade me possuindo
e transfigurando no próprio amor,
em sua expressão mais suprema,
apenas e tão somente para dar-me a ti.

Nosso strip-tease diferente oculta insinuando
o que há de delicioso num par de seios de lua,
desfilando nas névoas, em meio a cortinas de luz,
aos olhos da alma que espia e se assanha
sussurrando juras de amor,
nas pernas que se trançam e roçam lábios e nuca,
e nas entranhas se oferecendo em ceia amorosa,
onde ardem espáduas,
montes eretos tocam o céu de prazeres,
abre a gruta seus odores de selva,
enquanto desnudamos corpo e alma,
entre uivos brindamos o nudismo do corpo
e a seguir  o brinde da alma silencia
e relaxa o êxtase lascivo, com seu cântico
do bálsamo dos bálsamos.

Santos-SP-01/12/2006

Inês Marucci
Enviado por Inês Marucci em 01/12/2006
Código do texto: T307022
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Inês Marucci
Santos - São Paulo - Brasil, 55 anos
584 textos (23651 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 17:18)
Inês Marucci