Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Despindo Rotinas


Amanheci com um gosto imperdoável de rotina na língua...
Procuro o sabor urgente de um dia novo, uma travessa de promessas alcançáveis, uma taça de delícias transbordando para o brinde... e nada, só esse gosto desfocado de mesmices diárias me vem à boca...
Tenho os olhos embaçados de noites repetidas, tenho o corpo cansado de horas amontoadas sobre o leito revirado...e amanheço com saudades dos braços que não me abraçam, senão na imaginação...
Ficamos com as órbitas atônitas de tantas rotas desencontradas, fiquei eu inexpressiva e quase sem digitais de tantas palavras que rascunhei antes de me passar a limpo, porém antes que minha pele murche, antes que meus passos se calem de vez; terei os verbos prontos e as mãos abraçadas às que quero pra mim.
Abençoe a minha perversão, peque mais vezes na minha consagração, só assim essa esperança tola de beber mais um dia de cara nova deixará  de ser simulação. E para que essa sangria não passe de uma página virada sem uma assinatura legível, deixo entornar os meus recados, os meus medos abobados, fecho as horas de hoje sem saudade e abotôo no peito as certezas que só tive hoje, despidas dos amanhãs e nua de qualquer trapo de ontem...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 14/07/2005
Código do texto: T34416

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55638 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:53)
Angélica Teresa Almstadter