Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aldebaran

 
Aldebaran chora no seio da noite, entre as plêiades, seu choro de luz quase azul.

Dentro da silenciosa noite, é possível ouvir o soluçar da longínqua estrela que acreditou-se amada, e o seu nitescente lamuriar a derramar-se pelo véu da infinita madrugada, condoída e sem lua.

Ó Aldebaran, menina estrela de olhos mansos, o seu lamento ecoa como música astral por todo o universo e de cada lágrima sua, nasce um verso que se esparge luminoso...

O seu sofrer é belo. Verdadeiro o seu pranto. Seu sonho, um amor tão grande quanto o próprio éter no qual está mergulhada...

Elnath se ressente... Calaeno reluz solidária... Mas nada podem fazer...

Chora Aldebaran, no seio da noite, entre as plêiades, seu choro de luz quase azul... Zubenelgenubi fulge distante...
Rahna
Enviado por Rahna em 24/07/2005
Reeditado em 29/11/2014
Código do texto: T37297
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rahna
Belford Roxo - Rio de Janeiro - Brasil
54 textos (2209 leituras)
5 e-livros (419 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:16)
Rahna

Site do Escritor