Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Máscara

   
   Abro a porta do armário.
   Ah não, que bagunça, quantas máscaras fora do lugar, despencando dos cabides, amassadas, enfurnadas dentro dos vãos da madeira, algumas rasgadas, nem servem mais para usar.
   Preciso de uma hoje, agora, urgente. A platéia clama, o teatro me espera. Não me cabe mais nem uma, o espelho está torto, esse anda implicando comigo, embaçado ou ondulado, desfigura meu rosto, minha face torna-se mole, grande, pequena, partes que se esticam demais, outras diminutas, tudo desproporcional, um jogo de mau gosto, uma grande brincadeira com a minha cara, estou na sala dos espelhos.
   Uma nova máscara. Afinal, não era isso que eu estava procurando? As dobras agarram na máscara que parece ter se encaixado no meu rosto caindo como uma luva, um tabefe na cara que o tempo me dá, me dobra, tento tirá-la, mas ela não sai, tomo banho, esfrego e lavo, quase me firo, esfolo a pele, parece que essa máscara é definitiva, meio usada com uns vincos que não fui eu quem fez. Mas é essa que vai ser! Abram as cortinas!

Alessandra Espínola
Enviado por Alessandra Espínola em 14/09/2005
Código do texto: T50309
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Alessandra Espínola
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
288 textos (26476 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:51)