Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto




Ao nascer solfejam os tambores e as trombetas, anunciando a vida.

Escutam-se a seguir os clarins dos risos e a flauta doce dos sonhos.

Crescemos ao som de tambores.
As trombetas irrompem, os clarins tocam mais baixo e estremecem os primeiros violinos, com os arcos gemendo, ainda de leve, na tristeza das cordas.

Na juventude trinam as guitarras e cantam as violas, de amores, desejos.
O piano ressoa e a flauta assobia. Desta feita redobra o ribombar dos tambores,numa percussão contínua, de marcha.

Nascem os filhos, o timbre dos tambores cresce, guitarras tocam baixinho e sobressalta o bombo.
O bombo! O bombo! O bombo!
A bateria irrompe em todo o fulgor, dominando a orquestra.

Os filhos crescem e vão; a juventude passou.
Afogaram-se as guitarras.
Os tambores retumbam ainda, se bem que lentos e leves.
Gemem os violinos e choram de saudade os contra-baixos.

Na velhice, lastima-se o órgão.
Os tambores cessam.
Soam alguns violinos e os clarinetes estremecem,

... No Toque do Silêncio.

Maria Petronilho
Enviado por Maria Petronilho em 17/09/2005
Reeditado em 06/12/2006
Código do texto: T51251
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Maria Petronilho (registo www.igac- ref 2276/DRCAC - Ministério da Cultura, Portugal)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Maria Petronilho
Almada - Setúbal - Portugal, 64 anos
1238 textos (130526 leituras)
60 áudios (14347 audições)
9 e-livros (5156 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:36)
Maria Petronilho

Site do Escritor