Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESTAÇÕES MÍTICAS

Um rosto quase infantil perdido no espelho. Vivências que não se encontram na superfície. Fechei os olhos e me despedi no breu de um pensamento desbotado. Agarrei-me ao silêncio para fortalecer meus galhos e lancei ao vento as palavras amadurecidas. Como folhas secas que se perdem num chão de outono, perdi o horizonte no oceano dos sonhos derramados.
Quando abri os olhos, um prato vazio sustentava a mesa, a alegria das refeições estava maculada na louça suja. Não havia música ou perfume... Deixei-me guiar pela sombra e encontrei um beijo perdido, uma intenção que não se realizou...
Abandonei as crenças. O amor estalou num passo em falso e já não preenchia meus sentimentos. Com asas falsas busquei o sol e encontrei um abismo desconhecido. Sem cobranças, interiorizei a culpa, aceitei os prenúncios das estações e permaneci acovardada em minha nudez. Quase retorcida, sobrevivi ao frio das noites sombreadas sem definir a escuridão de um céu privado de estrelas.
Congelei encasulada com algumas lembranças. Perdi a memória... Mas uma lágrima me libertou do inverno e anunciou o primeiro botão da primavera. Quase embriagada, ressuscitei.

Helena Sut
Enviado por Helena Sut em 22/09/2005
Reeditado em 23/09/2005
Código do texto: T52878
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Sut
Curitiba - Paraná - Brasil, 47 anos
614 textos (789939 leituras)
2 áudios (1258 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:23)
Helena Sut

Site do Escritor