Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"O VELHO E O CÃO"

Era claro, era dia, oito e trinta da manhã. O frio entrava pela fresta do quebra vento do automóvel. Os pneus deixavam marcas pelo asfalto ainda úmido da garoa.
Era claro, era dia, dia frio, de corpo e alma.A neblina gélida teimava em não se erguer e deixar o sol aparecer.Passaros ainda tremiam nos fios .
Era claro, era dia, oito e trinta, era frio.
O velho, o cão, se olham e se entendem. O velho sabe que entre eles existe a cúmplicidade . Não existem palavras, mas se falam.O cão abraça  o velho com o olhar, saltitante cumprimento. Ao afago sorrateiro se coloca elegante.
O velho senta ao banco de uma praça solitária. O cão deita ao lado do banco. Os dois contemplam seu tempo . Veem o mundo passar sobre pernas e rodas. O turbilhão de almas no eterno labirinto a buscar, o que já nem se sabe mais o que e o por que.
O cão adormece com as patas sobre o focinho.
O velho se levanta e se afasta . Como quem deixa um amigo prometendo voltar .
O cigarro acabou, sigo o meu caminho .
Quem sabe amanhã??
Era claro, era dia, oito e trinta, era frio.
Sergio Cortes
Enviado por Sergio Cortes em 28/09/2005
Código do texto: T54557
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sergio Cortes
Uberaba - Minas Gerais - Brasil, 53 anos
102 textos (4493 leituras)
4 áudios (127 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 12:33)
Sergio Cortes