Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUE TENHAS O CORPO

Entre os meandros desta segunda-feira, de fel e de aceto
Fagulhas descolam das retinas e penetram no papel
Em branco, seguem os velames de prata, impetrando habeas corpus
Transe retilínea dum luau de pedra, na manhã irmã.

Cepas de fungos se desprendem dos casulos, todos sentindo
Por séculos ou átimos de história, bailam reticências
Nas alamedas de inglória; sujam de leite o bigode alvo, limpíssimo
Ordem de despejo, e o cume cego do casto desejo despoja-se...

São nessas horas que temos de nos livrar da alma
Endereçando-a a logradouro ermo, assaz duradouro
E com placas de contramão em todas as ruas.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 01/10/2007
Reeditado em 06/05/2008
Código do texto: T675780

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
732 textos (34317 leituras)
1 e-livros (249 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 18:25)
Cesar Poletto