Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

((( ANTÍDOTO )))

Já não sei se o que ouvi ainda a pouco me assustou ou me deixou ainda mais indiferente. Nada sei das coisas que ouço, quase sempre é assim. O tempo, irmão imparcial e onipresente segue me dando dias que não conheço, paródias de um  cotidiano que me falta,  e - notem bem - me faz falta.

Não, não se trata de redundância, tenho como distinto até o ar que me invade os pulmões a cada sopro de vida. Tomei por inimigo o dissimulável, e passei  a evitar a contenda ao percebe-la inútil.

Hoje apiedo-me dos pobres espíritos, almas escuras e fadadas ao amargor, que não conhecem dor nem sorriso, mentes opulentas de soberba, porém paupérrimas de espírito e amor. Que mostram-se como heróis, mas comportam-se como vermes da pior espécie.

Eu, por minha vêz, carrego fardos e vícios, cuja locomoção seria ainda mais penosa, se permitisse que a eles se somasse o peso morto da iniquidade. Consciente de minhas inúmeras imperfeições, constato vivo e mais leve que dentre elas a maldade não figura.

Quando em um espaço móvel e pensante, percebi que mesmo em erro ainda mantinha reservas de luz, espasmos de saudade e esperança. Logo concluo que sem amor sou reduzido a nada, e ainda menos, sem mim, sem ninguém. Se me inutilizo na ausência do amor, só o amor pode me despertar, mover-me abrupto à vida.

Tenho sede, tenho fome, tenho vida, tudo isso sem céu nem comunhão. Balbucio frases roucas de sentido, aborrece até o incauto leitor que corre os olhos pelas linhas, entediado por não poder entende-las.

Através de um fruto, ainda que temporão, me foi concedido o amor incondicional. Deixo aqui minha descendência, e sou embriagado de ternura a cada abraço do seu pequenino corpo. Um amor que me inunda o espírito, me move a querer ser melhor, me condena quando sou pior,  e que jamais poderia em mim escassear.

Assim, sou envenenado por meu próprio mundo a cada segundo de amor, a cada minuto de luta, a cada passo de esperança.
Paulo Osorio
Enviado por Paulo Osorio em 23/10/2007
Reeditado em 23/10/2007
Código do texto: T706475

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Osorio
Campinas - São Paulo - Brasil
74 textos (4906 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 20:33)
Paulo Osorio