Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Alergia

Amanheci indisposta
Forçando pra respirar
Estou tão ruborizada
Preciso me examinar...

Depois de buscar o clínico
Firmei o que já sabia
Todos os meus sintomas
Confirmam a ALERGIA.

Evadir desse achaque
Requer que evite a frieza
Pois não há medicamento
Pra mal dessa natureza.

É a frieza humana
Que beira a zero grau
Lentamente aprovada
Como algo natural.

Prolonga-se o inverno
Severamente enevoado:
Cada pessoa, um mundo.
Devidamente isolado.

Sou filha de terra cálida
De gente que irradia
Teimando ficar aqui
Arrisco morrer de ALERGIA.

Gosto de farra, de abraços,
de casa cheia e barulho...
Postergo este ar mesquinho
Impregnado de orgulho.

Passei tanto tempo aqui
Não pude me amoldar
Socorro! Tragam-me um lenço
Não paro de es-pir-rar...

(Sandra Lima Costa Melo)





Sandra Lima Costa Melo
Enviado por Sandra Lima Costa Melo em 01/11/2007
Reeditado em 09/04/2010
Código do texto: T719004
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Sandra Melo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sandra Lima Costa Melo
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil
76 textos (50688 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 19:14)
Sandra Lima Costa Melo