Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sociedade dos hipócritas

Meu intento é um lamento em meio a elocuções
Eloqüentes de oradores fluentes, dominadores sorridentes,
discursos que disputam pela audiência.
E eu na platéia, sempre na platéia,
dizendo “me escutem. Estou com a razão”.
A platéia quer floreios, simpatia, convicção.
Eu quero certeza eterna (algo impossível).
Por isso é sempre incerteza.
E a platéia quer apenas certeza.
E os oradores se regozijam com os aplausos.
E os aplausos doem nos meus ouvidos.
E os oradores riem-se, comunicam-se e se festejam,
e discursam entre si.
Suas primeiras-damas têm ares superiores.
Distribuem donativos à platéia em ovação.
E o desprezo é compreendido pela turba.
Eu não compreendo nada. Não participo de nada.
Ponho-me em um segundo plano e apenas observo.
Pena que sou percebido e a percepção que me dão não é merecida.
As primeiras-damas me olham com desprezo.
As tietes dos oradores compõem o grupo das estúpidas.
Aspirantes a oradores ensaiam seus discursos.
E é impressionante perceber a mudança de status,
inscritas até mesmo nos corpos e no jeito como se vestem.
Tornam-se outras pessoas.
E essa sociedade hipócrita e medíocre celebra-se a cada
instante, a cada novo discurso, a cada encontro.
E eu, apenas observando e intentando.
Estarei em algum grupo hoje ou no futuro?
Arpejo
Enviado por Arpejo em 03/11/2007
Reeditado em 03/11/2007
Código do texto: T722092

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor w o link para o site "www.sitedoautor.net"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Arpejo
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 39 anos
83 textos (3543 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 00:16)
Arpejo