Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DESPEDIDA

Os olhos do peregrino pelos caminhos de terra encontram pedras e cascalhos. Também lá que outras urzes insubmissas ao calor e ao vento. Alguns filhotes da Primavera chamam a atenção de todo o visitante: os malmequeres abrem seus sóis dourados no cimo dos cerros e escorrem ladeira abaixo como um rio verde-amarelo. A grama verdejante respira afogada nos orvalhos jogados ao léu durante a madrugada. Ainda soluçam os grilos neste lusco-fusco amanhecido. Piscando os olhos, o sol, debruçado sobre a linha do horizonte, anuncia o dia. E o poeta, de pijama, conversa com o sabiá, que limpava a garganta abrindo o canoro bico. Havia algo de tímido na palestra e o cochicho beirava o derradeiro canto. Tudo era longo e arrastado, como quem se despede da vida gargarejando o tempo. Os olhos do caminhante giravam na órbita como uma bússola ensandecida. Para trás ia ficando tudo, e, novamente na estrada, só se ouvia a poesia cochilando como uma dama antiga.

– Do LIVRO DOS AFETOS, 2005/2009.
http://www.recantodasletras.com.br/prosapoetica/72999
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 18/11/2005
Reeditado em 16/10/2010
Código do texto: T72999
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709754 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:45)
Joaquim Moncks