Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
A dualidade do amor

Sempre procuro “compreender” o comportamento humano, apesar de ter consciência de sua complexidade. Há pessoas que se dizem carentes, mas, não são capazes de distribuir sequer um sorriso. Pessoas que se queixam de solidão, mas quando se percebem amadas, queridas, desejadas, assustam-se com o fantasma da perda de privacidade e, se afastam, assim como se aproximaram. Nem mesmo se importam com o sentimento que despertam.
Outras, que se dizem não amadas, mas, nunca se dispuseram a sair de si mesmas.
Muitas vezes, não se amam, nem se permitem viver, errar, derramar lágrimas de alegria e de tristeza, consideram-se donos de seus próprios sentimentos, porque têm um medo imaginário, um “preconceito” de que amar é sinônimo de sofrer. Até mesmo o sofrimento é uma forma de Amor! Sofrendo nos fragilizamos, nos tornamos mais sensíveis e aptos à percepção de todas as nossas emoções. Compreendemos que, se desejamos o amor precisamos oferecer possibilidades.

   
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Enviado por Wanderlúcia Welerson Sott Meyer em 12/11/2007
Reeditado em 28/03/2011
Código do texto: T733746
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer
Juiz de Fora - Minas Gerais - Brasil, 50 anos
772 textos (22995 leituras)
2 áudios (37 audições)
6 e-livros (608 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 01:45)
Wanderlúcia Welerson Sott Meyer