Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ADEUS

Evaldo da Veiga

Não era um até logo, era um adeus de vez.
Às circunstâncias criaram um adeus
que jamais pensei em dizer.
No início muita dor,
saudade machucando o peito,
um respirar difícil com gosto de nada.

Era um adeus pra sempre.
Foi bem difícil caminhar nos caminhos
que caminhávamos, cheguei a sentir desespero,
mas sempre algo me atraia aqueles caminhos,
era a saudade, vontade de viver outra vez
aquele mesmo destino.

Tudo ficou feio, eu não sabia ver sozinho.
Não era o mesmo som, a mesma cor,
o mesmo movimento em tudo que eu tentei repetir,
nada além de mera semelhança,
pois o idêntico no amor não existe.
Cada amor é algo novo e absolutamente distinto.

O que vale mesmo é amar novamente,
como se fosse aquele,
o maior e melhor amor do mundo.
O mais lindo, uma mágica maravilhosa e eterna,
até que termine dando vez a um novo amor,
eis que o amor não deve extingui-se, jamais.

evaldodaveiga@yahoo.com.br


Evaldo da Veiga
Enviado por Evaldo da Veiga em 14/11/2007
Reeditado em 14/11/2007
Código do texto: T736776

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Evaldo da Veiga
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 74 anos
952 textos (314225 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 04:50)
Evaldo da Veiga