Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como Uma Onda.


Encontro-me só. Recentemente recebo a melancolia ao entardecer. Ela vem e se instala. Faz o que a melancolia costuma fazer. Sinto-me só. Sinto falta de alguém. Tenho vontade de chorar. E choro. Lembro seu olhar que muitas vezes não consegui decifrar, mas me bastava nele mergulhar, para me sentir viva. Ouço o canto dos pássaros, alheios a esse desconfortável estado de espírito no qual me encontro. Um bonito coral. Oferecerei um café a visitante. Eu adoro café, quem sabe ela também gosta. Mas e se ela passar a me visitar com mais freqüência só pelo cafezinho? Pensarei no assunto. Lembrei de uma música de Lulu Santos, ou melhor "da música", pois todo mundo conhece Como Uma Onda ( Zen Surfismo):

”Tudo muda o tempo todo.
No mundo.
Não adianta fugir.
Nem mentir pra si mesmo agora,
Há tanta vida lá fora.
Aqui dentro sempre.
Como uma onda no mar"

É mais ou menos assim que me sinto. Há muita gente lá fora. Alguns eu convidaria a entrar. Há muita gente aqui dentro também que, talvez me fizessem melhor se saíssem de vez. Porém, eu me apego às pessoas boas que gostam de mim.
Por enquanto, estamos eu, a melancolia e um coração cheio de amor e saudade. É assim a vida a Lulu Santos: " Nada do que foi será do jeito que já foi um dia. Tudo passa. Tudo sempre passará". De repente ela, a Sra. Melancolia, vai embora e a alegria volta a me acompanhar. É o que espero para já.



Evelyne Furtado, em 15 de novembro de 2007
Evelyne Furtado
Enviado por Evelyne Furtado em 15/11/2007
Código do texto: T738600

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Evelyne Furtado
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
974 textos (120181 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 14:55)
Evelyne Furtado