Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Orvalho ao Sol

Na carona da brisa, me precipitei
Recém nascido do suor da Lua
Filho da noite, gota de orvalho que sou
Onde me escondi, foi na terra nua?

Confiante, achei que estaria seguro
Que de nada ou de alguém precisaria
Sozinho e feliz, sem nada querer
O que mais, nesta vida, haveria?

Mas veio o dia, e com ele você
E seus lábios quentes tocaram os meus
Arrancado do leito, embalado ao seu toque
Quem te enviou, teria sido Deus?

O tempo foi rápido, cresceu o amor
Por ti me apaixonei, e você me aqueceu
Em tua grandeza, estrela que sois
Aquilo, que em meu peito batia, era seu?

E me desfiz inteiro para te agradar
Aos céus subi, pois você me rogou
Ao teu embalo me desfiz, minh’alma doei
Minha deusa és, mas... sei quem sou?

E, por te servir, tu me esqueces
Refém agora sou, de tua vaidade
Nas nuvens solto me descontrolo
E me transformo... em tempestade?

À terra mãe nos arrojamos
Eu feito chuva, você em luz
(o dia acaba e você se esconde)
Até oculta, tu me seduz?

E tu te pões no horizonte a dormir
Escondida atrás do grandioso mar
E eu ao rio me incorporo triste
A vida inteira levo para em ti chegar!


[070401]
Rufus
Enviado por Rufus em 20/11/2007
Código do texto: T745170

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rufus
São Paulo - São Paulo - Brasil
7 textos (136 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 03:03)