Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ELA NÃO LIGA...

            Você acha que tá tudo bem. Eu estou ok e você está ok, certo? Dãããã.... All right o caramba. Ela não liga. Ela está ok. Se você não está, tudo bem. Ela também não se importa se você se porta, se entorta, se comporta ou nem encontra a porta. A de saída. Ela não vai te mostrar a porta. Cada um tem a sua. Ela não liga. 

         Você está cheio de perguntinhas básicas “ de onde vim, pra onde vou, que é que eu to fazendo nessa porra de vida, que mundo é este, que vidinha besta?”. Ela não responde. Te devolve outro tanto de perguntas porque é o único jeito de você encontrar suas próprias respostas. Ela não se importa se você gosta.  E você fica pensando: “ Que diabos tem na cabeça aquela criatura com cara de anjo que me inferniza a vida?” Nem pergunte, ela não liga. Não vai te responder nada. Já tem as respostas dela e basta. Resolva você a parada.

            Você não liga, ela não telefona. Ela não liga. Diz que tem saudade, mas vai tudo legal. “Que criatura infernal!”, você pensa. Ela não se incomoda. Vire-se você a sua moda. Você precisa dar um jeito, ela leva tudo no peito. Você busca uma saída, ela te dá uma passagem de ida. Ela não tá nem aí , não tá nem aqui. Só tá na dela. Quem quiser, se pendure na janela, e veja a vida passar. Ela tá vivendo e tem pressa, porque não dá tempo pra voltar e a coisa é corrida à beça. Você olha pra fora, ela vive olhando pra dentro. Não perca tempo que a coisa embola. Se você dormir muito, se atola.

             A vida tá te levando, ela tá  levando a vida. Você se perdeu na estrada, ela conhece as as saídas. Você não sabe onde ir, ela já tá na vida. Você se pergunta como, e ela sabe os porquês. Ela aponta um caminho e você fica no “cadê?. Você pensando em tudo, ela nem pensa mais. É assim mesmo, pra quê? Ela não liga, não se importa. Se você veio, se não veio, que interessa? A vida bate na porta, tem que abrir depressa, antes que bata na aorta.

            Ela é meio doida? Bad news: ela é a doida completa. Mas com rumo, com planos, com metas. E não se meta, que a coisa já está toda certa. Você nem sabe o nome do filme, ela já sabe o fim. Toda doida, toda certa, toda assim. Você precisa de uma passagem. Ela já entrou, já saiu e já voltou. E nem saiu do lugar. Meio Beatles, meio pop, fugitiva de Woodstock. Nem vem, ela tá toda zen. She needs no ticket to ride. And she don’t care.
Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 26/11/2007
Código do texto: T753233

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (157882 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 02:29)
Débora Denadai

Site do Escritor