Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
NO SÍTIO

Depois de um chuveiro quente mordi mais uma maçã, postei outras tantas “pérolas” e me desconectei.

Mas antes de enfim dormir, fui curtir o pomar e a pouca pressa dos pássaros beira rio.

Foi quando a vaca perdida atraiu minhas sensações.

Tinha uma cor avermelhada, como eu nunca havia visto. E uma inversão de minha crença de infância de que vaca ataca crianças vestidas em tom vermelho despertou-me uma ira instintiva, que levou-me a persegui-la um bom tempo rio acima.

Quanto mais eu me aproximava de sua vermelhidão, mais sentia-me tomar por um espírito de guri destemido, a caça de in/re/verter a crença que assustava meus amiguinhos distantes.

Pois, quando eu quase a alcançava, eis que ela pula na água fria, molhando-me até a alma – e eu acordo ainda na rede.
Wancisco Franco
Enviado por Wancisco Franco em 26/11/2007
Reeditado em 29/11/2007
Código do texto: T753680

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wancisco Franco
São Paulo - São Paulo - Brasil
101 textos (7274 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 20:42)
Wancisco Franco