Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

[Naquela Hora da Tarde]

[Memórias de Itumbiara – GO]

Naquela hora vermelha,
as portas desceram
sobre os cansaços,
sobre as cobiças,
sobre a ânsia de enricar,
sobre as esperanças,
sejam quais forem —
é a régua passada
na conta feita do dia!

Restou a rua vazia,
de onde o calor se exaure
no banho frio da luz
do lento entardecer.

Nas pedras da rua,
agora as aves pousam,
sem o susto do movimento,
a procurar alimento entre as fendas.

Da Praça da Bandeira,
só eu vejo o fundo desta hora;
para os demais, é apenas hora perdida,
hora de ganhos cessantes
ou de estancamento de perdas;
não importa — é só o tempo
de rearme para a luta!

Para mim, ah... para mim,
que contemplo o saltitar das aves,
esta hora é perdida sim,
mas perdida para sempre,
pois o relógio é um mentiroso:
esta hora de hoje não se repete
ainda que os ponteiros
estejam na mesma posição!

Da praça, em agonia e calma,
o meu olhar passeia
pelas portas fechadas,
pelas pedras da rua,
pelos saltos das aves,
pela sombras que avançam
sobre a luz que morre...
___________
[Penas do Desterro, 08 de abril de 1999]
Carlos Rodolfo Stopa
Enviado por Carlos Rodolfo Stopa em 02/12/2007
Reeditado em 10/07/2012
Código do texto: T761414
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Carlos Rodolfo Stopa e o site http://recantodasletras.uol.com.br/autor.php?id=1377). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Rodolfo Stopa
São José dos Campos - São Paulo - Brasil
979 textos (48827 leituras)
33 áudios (3335 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 23:48)
Carlos Rodolfo Stopa