Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

que o virtuosismo fálico adormeça...

As tardes crepusculosas onde as ideias cansadas navegam pelo esbatido da cor, são como envolvente neblina no mistério opaco.

...Quase como um fantasma, saio das virilhas em que suspiro e vou, rumo acima, como um beijo linguajado pelo dorso do sonho erótico.

Aí,bem acima, onde os caminhos se cruzam, salivo sedes e na angustia que me cala, envolvo corpos na subida lenta do desejo.

Estou no topo do rumo, bem por cima do crepusculo, onde a lua espreita e o sol, qual pássaro esvoaçante, teima acolher-se a outro dia.

De bafo quente  e corpo perdido, espero que o virtuosismo fálico adormeça sob o gume da minha fúria perdida.

Deixarei que o sonho aconteça ante a ilusão do grande momento, imaginando que o suspiro que antecede o profundo,
não é mais do que o breve instante, em que a cobardia desce às sombras do quieto e magnético silêncio...

João Videira Santos
Enviado por João Videira Santos em 01/12/2005
Reeditado em 01/12/2005
Código do texto: T79495

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Videira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Videira Santos
Lisboa - Lisboa - Portugal
233 textos (16636 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 18:59)
João Videira Santos