Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

paradigmático...

Deslizas pelos patamares dos degraus como se nos confins da escada estivesse a porta aureolada da fantasia...

Debicas com beijos a arquitectura do corpo como se fosse   guloseima em dia de festa...

Rezas na cruz do suplicio sabendo que a constelação de Maria Madalena, tem mais almas no anonimato do pecado...

Calas a voz na descrição da transparência sabendo que o circulo da glória é restrito e nele não tens cabimento...

Pensas, murmuras e por fim, calas, pois sabes que, na despedida dos adeuses, não há lenço que te acene no imaculado da cor...

(...quando escrevo parágrafos como estes, não há enigmas
 que me iluminem, nem raios que me partam...)
João Videira Santos
Enviado por João Videira Santos em 01/12/2005
Código do texto: T79515

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (João Videira Santos). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Videira Santos
Lisboa - Lisboa - Portugal
233 textos (16634 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:51)
João Videira Santos