Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Clima:Tédio

Quem chega aos vinte, sente-se um semeador finalmente adulto,porém ansioso.
Nos trinta,alguns frutos já estarão maduros e serão colhidos com a avidez de quem pagou pra ver.
Aos quarenta, o cultivo continua já sem pressa ,mas não sem a esperança de que ,nos cinqüenta, aquela semente brotada e cultivada possa finalmente ser provada em toda a sua plenitude de  sabores e perfumes .
Mas há também os tempos intermediários,aqueles de esperar a chuva passar,ou de desejar que chova pra molhar o que secou durante o estio.Há o tempo da geada e o tempo dos calores.
É aí que eu me encaixo neste tempo...

Meu tempo hoje chama-se CLIMATÉRIO,senhoras e senhores!
Logo comigo,que ontem mesmo dancei a valsa dos meus quinze anos,que ante-ontem me assustei com a menarca!
Climatério tem a ver com calor e tem a ver com tédio.
Calor de dentro pra fora.
Tédio de fora pra dentro.
Tudo nessa mesma (des)ordem.
Estou mais próxima dos cinqüenta hoje,do que jamais estive.
Meu currículo de semeadora prova que muito plantei,cultivei,colhi e recolhi...terminou o meu estágio no mundo,entende?
Agora, é começar a fazer o caminho de volta.
Que volta,cara pálida?

Aquela historinha do semeador lá de cima também se aplica a outra imagem (minha cabeça ferve de imagens,por que será?) menos térrea e mais planalto.
Olha só:quando a gente cresce,estamos subindo a montanha.À medida em que a  vamos escalando com toda a força e energia,mais desejamos chegar ao cume pra finalmente instalar ali a bandeira da confirmação de nossa vitória,a bandeira da sobrevivência à árdua subida.
Depois,'vem a  hora de descer,irmã',diz uma vozinha amigável lá de não-sei-onde.
Não se pode pretender ficar lá em cima eternamente:'Chegaste?Muito bom!Agora, desce! Descer é mais fácil,menos cansativo e mais rápido'.
Rápido? Credo!
Eu bem que gostava de permanecer por lá mais algum tempo,mas há um calor que grita comigo,chamando-me à atenção.Que tédio!
Até aqui ,tudo bem!
Cheguei com as minhas próprias pernas .
Aquela menina semeadora e aquela moça que colhia e recolhia não perturbam a esta senhora que ,mais do que olhar pra trás,diz confiante ao futuro:'acabei de nascer pra você'!




Zully Oney Teijeiro Pontet
Enviado por Zully Oney Teijeiro Pontet em 11/12/2005
Reeditado em 12/12/2005
Código do texto: T84357
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Zully Oney Teijeiro Pontet
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 59 anos
219 textos (13426 leituras)
1 áudios (112 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 19:00)
Zully Oney Teijeiro Pontet