Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quanto a Mim...

 
Diante de frágeis prospecções, sinto tédio, somente.

E me rio da vaga filosofia dos covardes. Renitentes e convictos em suas justificativas incipientes.

Vivendo em maquetes e julgando-se conhecedores do mundo, essas pequenas e arrogantes almas.
     
Perdem-se do alvo maior, anulam-se em atitudes na tolice trêmula e atrofiante de negociar com o medo.

E nesse não enfrentamento desvirtuam o propósito da própria existência, a interna e árdua travessia para o alcance do Eu absoluto.

Mais conveniente a paralisia torpe, ou o caminhar apoiado em ombros vacilantes.

O vislumbre da amplidão é benemérito exclusivo dos fortes.

Dos raros conhecedores das reais dimensões da dor. Dos que percorreram o Grande Caminho com a nobreza e doçura dos sobreviventes de si mesmo. Coroados de cicatrizes e virtudes oriundas da própria evolução.

E incontáveis aqueles que não suportariam a densidade de apenas SER.

Confesso que isso me soa estranho, distante...
     
Mas compreensível. Muito claro, até .

A estupidez humana é plena de obviedades...


Claudia Gadini
19.12.05
Claudia Gadini
Enviado por Claudia Gadini em 20/12/2005
Reeditado em 20/12/2005
Código do texto: T88498

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Claudias Gadini). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Claudia Gadini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
318 textos (54196 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 20:22)
Claudia Gadini