Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

poema para quem o ler *

nesta mesa gasta pelas palavras em mundos, sujos
na chuva que nos lava os olhos, nas poças gritantes
ficámos pois assim sóis, despedida aos que buscam
quaisquer corações que nos morram, mães que partam
ou desta podridão capaz de borrar o céu de júbilo
sem azul que valha, condor, com dor respiramos
é por nos beijarmos ao fim da noite que é noite, do compasso
adiado das tormentas
que deixámos vestígios: um traço, pingos de sal
é porque o mundo mora ao lado que nessa mesa ficou
suspenso
com o triste velar da aurora crua
papelzinho que cheira a tinto

poema para quem o ler.

são marcos (junho de 2003)
* antologiado no site literário "agora ou nunca 9"
(Galiza, 2004)
Nuno Trinta de Sá
Enviado por Nuno Trinta de Sá em 28/12/2005
Código do texto: T91399
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nuno Trinta de Sá
Portugal, 43 anos
73 textos (1677 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 16:23)