Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Retrato escrito

Rabisquei paredes e areia de praias, escrevi bilhetes, memorandos e epitáfios, por vezes escrevia nas estrelas, em outras escrevia para elas.

Nunca havia me atrevido a enfrentar a brancura do papel para descrever os dias que me passavam pelos olhos. Quando os poucos limites da folha branca já não mais me amedrontaram, comecei a fazê-los para um luxo pessoal, como fotografias que ia tirando de momentos vistos e vividos.

As folhas de papel foram se avolumando e se transformando em incômodas pilhas que, opostas ao decoro, foram se tornando um estorvo. A limpeza foi ampla, geral e irrestrita; inevitável. Joguei fora um tanto também de mágoas que, além de limparem os armários, limparam também o meu coração.

Passei longo tempo sem fazer investidas literárias, até porque nunca me senti realmente capaz da produção de algo que pudesse merecer grande atenção. Com o advento dos microcomputadores, retomei o hábito de fotografar o meu cotidiano e do mundo, com as teclas do meu PC, este sim os guardou e isto ocupando pouquíssimos espaços.

Certa feita um anjo me encorajou a tornar públicas minhas letras, me enchi de coragem e encarei o desafio de expor os meus retratos em crônicas de um mundo nem sempre tão real.

Se por acaso outros olhos, que não sejam os meus, em algum dia, entrarem no meu mundo das palavras, minhas palavras, que sejam iludidos pela "intenção", a minha intenção de escrever a vida.
Sérgio Corrêa
Enviado por Sérgio Corrêa em 03/01/2006
Código do texto: T93896
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Sérgio Corrêa
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 45 anos
68 textos (1744 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 14:51)
Sérgio Corrêa