CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Dicas para uma boa redação - 3 (coerência, conectivos, termos de ligação e coesão)

Coerência é a conformidade dos fatos, é um conjunto de informações que confirmam, negam ou esclarecem um argumento. Seja de que forma for, a coerência deixa seu texto com sentido, o leitor entende o que leu.

Conectivos são as conjunções (e, nem, não só…mas também, não só…como também, porém, mas...)

Termos de ligação são palavras ou frases que vão "emendar" suas informações, são a "ponte" entre uma informação e outra, uma complementando a outra, fazendo o texto fluir de modo a ser bem entendido, ou seja, o texto fica coerente. Alguns termos:

"Do ponto de vista de…,

"Como caracteriza fulano…",

"Em Sicrano vamos encontrar o seguinte esclarecimento…"

"Beltrano explicita seus pressupostos utilizando-se da seguinte argumentação…",

Coesão é o uso correto entre as informações, os conectivos e termos de ligação.

Às vezes, é necessário que um termo de ligação seja maior que sua informação principal, para dar coerência e coesão ao texto.

O problema é que, na cabeça de alguns autores de redações, o texto já  esclareceu tudo o que se pensou. Não há preocupação em se dar detalhes, pois se pensa que o leitor vai entender o que se passa na mente do redator. Uma ideia passa para outra abruptamente, sem haver uma transição entendível entre dois pensamentos, embora eles estejam relacionados entre si. Isso é mais comum do que se imagina.

Exemplo:

                "Problemas econômicos na Amazônia" (título)
"A Amazônia é sempre evidenciada mundialmente quando se fala em desmatamento. As enchentes e as vazantes causam muitos problemas. O quilo da farinha custa oito reais".

Perceba: o que tem a ver o desmatamento com as cheias, vazantes e o preço do quilo da farinha? Deve haver alguma coisa relacionada, mas faltam conectivos para esclarecer, para haver coerência.

Perceba também que, aparentemente, o texto nos dá duas informações principais sobre a economia: desmatamento e enchentes/vazantes. O quilo da farinha é só um exemplo de alguma conclusão que ficou sem se esclarecer.


Agora:
                          "Problemas econômicos na Amazônia
A Amazônia é sempre evidenciada mundialmente quando se fala em desmatamento, geralmente associado aos lucros das empresas, que deixam a maioria da população em condições econômicas desfavoráveis.
Porém, as consequências do desmatamento não são o único problema econômico enfrentado pelos moradores da região. As enchentes e as vazantes são fenômenos naturais preocupantes, que acarretam consequências tão agravantes quanto o desmatamento, pois influenciam dramaticamente no bolso do consumidor. Na época da cheia, por exemplo, grande parte da produção de farinha, alimento dos mais abundantes, se perde, e o quilo da farinha chega a custar oito reais. Esse preço é considerado um absurdo pelos moradores da região".

Analisando o texto:
Primeira informação:
"A Amazônia é sempre evidenciada mundialmente quando se fala em desmatamento."

Desenvolvemos a primeira informação com explicações que mais adiante vão culminar nas enchentes e vazantes. O termo de ligação, aqui, é a situação econômica da população e a frase "porém (conectivo), o desmatamento não é o único problema enfrentado pela região":

          "..., geralmente associado aos lucros das empresas, que deixam a maioria da população em condições econômicas desfavoráveis. Porém, as consequências do desmatamento não são o único problema econômico enfrentado pelos moradores da região. "

Segunda informação:
"As enchentes e as vazantes são fenômenos naturais preocupantes."

Termo de ligação que relaciona as enchentes e vazantes ao desmatamento:
"que acarretam consequências tão agravantes quanto o desmatamento",

Termo de ligação entre a segunda informação e a conclusão:
"pois influenciam dramaticamente no bolso do consumidor."

A conclusão, que não foge ao tema da economia, é o exemplo do aumento do preço da farinha, cuja produção é prejudicada pela enchente (viu como uma ideia se liga à outra?):
"Na época da cheia, por exemplo, grande parte da produção de farinha, alimento dos mais abundantes, se perde, e o quilo da farinha chega a custar oito reais. Esse preço é considerado um absurdo pelos moradores da região".

VEJAM COMO O ESQUEMA É SIMPLES:
DESMATAMENTO=>AFETA ECONOMIA=>ALÉM DO DESMATAMENTO, A CHEIA E VAZANTE TAMBÉM AFETAM A ECONOMIA=>EXEMPLO: PREJUÍZO DA PRODUÇÃO E AUMENTO DE PREÇOS DE ALIMENTOS.

Qualquer dúvida sobre o assunto, por favor, comente.
Eduardo Escreve
Enviado por Eduardo Escreve em 21/11/2012
Reeditado em 11/01/2013
Código do texto: T3997388
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ao reproduzir, cite a autoria de Eduardo de Castro Gomes e o site eduufam.wix.com/bempensado). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
Eduardo Escreve
Manaus - Amazonas - Brasil, 47 anos
410 textos (35158 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/08/14 03:32)