Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Milagre do Papa


Quanta tristeza para todos nós acompanharmos o sofrimento dos últimos dias culminando com a morte do Papa João Paulo II.
Sempre que vejo a sua imagem na TV nos noticiários, de imediato penso no Papai, lembrando de sua verdadeira por ele.
João Paulo II esteve sempre presente em minha vida e tenho momentos muito especiais que quero relatar.
O primeiro e talvez o mais marcante para mim ocorreu em 1980, quando da primeira visita ao Brasil.
A Solange estava grávida do Caio.Vivíamos com muita preocupação a gravidez, pois eu tinha conforme meu documento de alistamento militar sangue do tipo O - RH positivo e a Solange tem RH negativo, havendo, portanto uma incompatibilidade que poderia causar danos ao bebê no parto. Na época, morávamos em São Paulo na Rua Oscar Freire. Todos acompanhávamos pela TV que mostrava ao vivo todos os eventos em que o Papa estava envolvido.
Vi noticiar que ele sairia do campo de Marte para ir ao Morumbi, onde uma multidão já o aguardava. Por sorte pude ouvir em seguida o som de um helicóptero. Sim, era Ele passando sobre nossa região. Imediatamente saímos na varanda do apartamento. Eu abracei a Solange envolvendo a sua barriga de cerca de quatro meses de gravidez e num dos momentos de maior emoção que tive na minha vida, pedi a Deus e ao Papa proteção para a nossa família e que nada acontecesse de ruim para o Caio.
Para mim foi uma prova de fé. Nenhuma imagem, apenas o som do helicóptero, processou em nós três algo inexplicável. Meses depois, fui confirmar através de um novo exame de sangue que o meu fator RH era negativo, não havendo, portanto a dita incompatibilidade e razão alguma para a preocupação que tanto nos atormentava.
Apenas um problema de erro no meu documento? Preferi pensar em uma ação conjunta de Deus e do Santo Padre.
A segunda passagem ocorreu dez anos depois, em 1990, na minha primeira visita à Roma. No primeiro domingo que estava lá, fiz questão de ir até a Praça de São Pedro para agradecer a Deus e receber à tradicional benção domingueira dada pelo Papa de uma janela do palácio do vaticano. Neste domingo, acordei cedo, enchi os bolsos com medalhas e crucifixos que queria benzer e trazer para o Brasil e fui para a Praça de São Pedro, juntar-me as milhares de pessoas que tradicionalmente ocupam o local neste dia. Mais um momento de grande emoção.Vendo a figura do santo padre, mesmo que a uma distância de cerca de quinhentos metros.
Agradeci e novamente pedi proteção às nossas famílias.
Vendo as demonstrações de carinho e homenagens prestadas durante esta primeira semana após sua morte em todas as partes dedo mundo, não fica dúvida do homem santo que foi João Paulo II e como fui privilegiado por ter vivido os dois momentos descritos nestes escritos de hoje.
A benção João de Deus!


06/Abril de 2005
luiz peixoto
Enviado por luiz peixoto em 11/11/2005
Código do texto: T70058
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
luiz peixoto
São José dos Campos - São Paulo - Brasil, 63 anos
26 textos (2004 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:55)
luiz peixoto