Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um poeta bom à beça

Abaixo poema publicado neste domingo(12) no Blog do Noblat.


"12/02/2006 ¦ 22:43

Poema da noite


Espelho
Anibal Beça
 
O que sobrou de mim são essas sombras
Sobrada sobra, cinza dos minutos,
Que me alimenta os ossos da memória.
Nessa voragem vaga um mar de calma
Lambendo vem a pressa em que me aposto
Na duração que escorre nessa arena.
Do fim regresso fera não domada
Ao mesmo pouso de ave renascida
 Para o sol da surpresa nas janelas
Escancarando um solo transmutado.
De baixo para cima é que renovo
As vestes da sintaxe que componho
Clara inversão da jaula das palavras
Para fechar sem chave a minha sina.
................................................................
Para fechar sem chave a minha sina
Clara inversão da jaula das palavras
As vestes da sintaxe que componho
De baixo para cima é que renovo.
Escancarando um solo transmutado
Para o sol da surpresa nas janelas
Ao mesmo pouso de ave renascida
Do fim regresso fera não domada.
Na duração que escorre nessa arena
Lambendo vem a pressa em que me aposto.
Nessa voragem vaga um mar de calma
Que me alimenta os ossos da memória
Sobrada sobra, cinza dos minutos,
O que sobrou de mim são essas sombras.
 
Anibal Beça nasceu em Manaus, em 13 de setembro de 1946. É poeta, compositor e jornalista. Desde muito cedo colabora em suplementos literários e em publicações similares nacionais e internacionais.Envolvido com teatro, artes plásticas, é na música popular que a sua contribuição se faz mais efetiva como compositor, letrista e produtor de espetáculos e de discos. Publicou: Convite Frugal, 1966; Filhos da Várzea, ed. Madrugada, 1984, Marupiara - Antologia de Novos Poetas do Amazonas, (organizador) Ed. Governo do Estado do Amazonas, 1985; Quem foi ao vento, perdeu o assento (Teatro) Ed. SEMEC, 1986; Itinerário Poético da Noite Desmedida à Mínima Fratura, Ed. Madrugada, 1987; Banda da Asa - poesia reunida, Ed. Sette Letras, 1998. Tem participação em diversas antologias: A Nova Poesia Brasileira de Olga Savary; A Poesia do sec. XX - Amazonas de Assis Brasil; Poesia Sempre da Fund. Biblioteca Nacional.; Antologia FUI EU de Eunice Arruda; Saciedade de Poetas Vivos: erótica e de haicais, de Leila Miccollis e Urhacy Faustino. Site do autor:

http://geocities.yahoo.com.br/abeca552002/CASA.html"
Nelson Oliveira
Enviado por Nelson Oliveira em 13/02/2006
Reeditado em 13/02/2006
Código do texto: T111286
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Oliveira
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 55 anos
345 textos (25575 leituras)
2 áudios (313 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 18:08)
Nelson Oliveira